Fórum Oficial da ANASP

Bem-vindo ao Fórum Oficial da ANASP, Fundada em 2009 | Associação Nacional Agentes Segurança Privada | Portugal

Registe-se, conecte-se e contribua no melhor fórum de divulgação da Segurança Privada.

Visite-nos no Site Oficial ANASP em www.anasp.pt.vu

ANASP nas Redes Sociais

Siga-nos nas principais redes sociais e acompanhe todas as novidades!

FACEBOOK
Subscreva e comente as actividades e notícias da ANASP
Siga aqui https://www.facebook.com/AssociacaoNacionalDeAgentesDeSegurancaPrivada

TWITTER
Ligue-se à maior rede social corporativa do mundo
Siga aqui https://twitter.com/ANASPups

YOUTUBE
Acompanhe e partilhe os vídeos da ANASP
Subscreva aqui http://www.youtube.com/user/ANASPTV
Fórum Oficial da ANASP

Bem-vindo ao Fórum Oficial da ANASP, Fundada em 2009 | Associação Nacional Agentes Segurança Privada | Portugal

ANASP - Associação Nacional Agentes Segurança Privada

"UNIDOS PELO SECTOR"

Sede: Urbanização Caliço, Lote P10, Frente A, 8200 Albufeira (ao lado terminal autocarros Albufeira)
Delegação Faro: Rua Libânio Martins, nº14, Fração B na União de Freguesias da Sé e São Pedro.

Delegação Lisboa:  Rua Abranches Ferrão Nº 13, 1º, 1600-296 Lisboa (Em frente à Loja do Cidadão das Laranjeiras)

Delegação Braga: Rua Dr. Francisco Duarte, 75/125, 1º, Sala 23, C.C. Sotto Mayor – 4715-017 Braga

 (ao lado Segurança Social de Braga, contactar Dra. Eva Mendes)

Telemóvel: 938128328 Telefone: 289048068


Horário de atendimento: Segunda a Sexta: 09h/12h - 14h/17h

Telefone: +351 253 054 799

Telemóvel: /+351 965293868  / +351 936345367(tag) / +351 917838281

Email: geral.anasp@gmail.com

Últimos assuntos

» ofertas emprego
Sex 31 Jul 2015, 14:34 por ANASP

» ofertas emprego
Sex 31 Jul 2015, 14:31 por ANASP

» Ofertas emprego
Sex 31 Jul 2015, 14:28 por ANASP

» Ofertas de Emprego Segurança Privada
Sex 31 Jul 2015, 13:54 por ANASP

» (2)ANASP_Newsletter_23julho
Qui 23 Jul 2015, 14:23 por ANASP

» ANASP_Newsletter_23julho
Qui 23 Jul 2015, 14:16 por ANASP

» (2)ANASP_Newsletter_16julho
Qui 16 Jul 2015, 14:43 por ANASP

» ANASP_Newsletter_16julho
Qui 16 Jul 2015, 14:10 por ANASP

» (2)ANASP_Newsletter_15julho
Qua 15 Jul 2015, 13:58 por ANASP

Galeria


Navegação


    A violência é tão fascinante

    Compartilhe
    avatar
    ANASP
    Admin

    Mensagens : 3215
    Reputação : 61
    Data de inscrição : 17/07/2009
    Idade : 37
    Localização : Portugal
    28082011

    A violência é tão fascinante

    Mensagem por ANASP

    A violência é tão fascinante


    27.08.2011|

    Preso pai acusado de matar a filha para não pagar pensão. Filho é acusado de matar a mãe e diz que foi sem querer. Preso acusado de molestar 14 crianças sexualmente. Mulher morre em assalto. Jovem é encontrado morto na periferia. Criança fica em estado grave após ser atingida por bala perdida. Onda de assaltos assusta bairro. Não importa o local, no Brasil, diariamente, nos acostumamos a ver esse tipo de notícia como parte do dia a dia alheio, quase uma ficção que alimenta um certo gosto sádico pelo sofrimento dos outros, desde que distante da porta da nossa casa. Histórias tristes que nos fazem lançar um comentário na hora do jantar e pronto, em seguida são deglutidas e esquecidas. E os culpados por tudo isso? O governo, a pobreza, as drogas. Sempre os outros. Mas será que essa mistura de curiosidade com indiferença que envolve cada um de nós não contribui para que esse tipo de acontecimento continue se repetindo infinitamente, parecendo que não existe solução mesmo, que vamos ter de conviver com isso para sempre e pronto?



    Mais do que isso: nosso olhar repleto de preconceito, que teme um estranho só por causa da cor da pele, ou pelo modo de se vestir, ou mesmo por uma tatuagem no braço, ou por um cabelo mais desgrenhado, por mais que se negue isso no Brasil, acaba por reforçar, diariamente, a sensação de uma guerra fria, vivida entre os “cidadãos legítimos” e os outros. Relato de um jovem africano que vive aqui no Ceará, ilustrado na última segunda-feira (22) no O POVO, em reportagem de Janaína Braz, demonstra que esse tipo de sentimento, que enfatiza a diferença estigmatizante, está mais vivo do que nunca na nossa sociedade, e é extremamente maléfico – só por ser negro, o rapaz foi apontado como assaltante, sofreu diversas abordagens policiais sem qualquer indício, o que o fez perceber pela primeira vez na vida que era diferente.

    Mas como mudar isso, se a violência não é apenas ficção, existe mesmo e pode ser fatal? O único jeito é de fato criar coragem para romper esse círculo vicioso. Sair do autoexílio confortável onde nos isolamos e passar a nos relacionar com a cidade, com o outro, com o estranho, desarmados, sem medo, de igual para igual. Lógico que só a cara e a coragem não mudam nada, mas a partir do momento em que cada um deixar a segurança artificial de seu lar para encarar a vida de frente, haverá cobranças bem mais contundentes para que se invista mesmo em políticas públicas de inserção social, de combate à desigualdade, de repúdio ao preconceito, de melhoria dos serviços públicos básicos, como educação e saúde. Por enquanto, com a classe média apenas fingindo que se preocupa com essas coisas, mas satisfeita com seu plano de saúde, com sua escola particular e a segurança privada na porta, todas as cobranças ficam apenas no discurso fácil, eleitoreiro. A mudança real deve começar por uma mudança de mentalidade e de comportamento de cada um de nós.



    Salário nosso de cada dia

    Professores do Ceará, que têm graduação e a responsabilidade de formar o futuro da nação, brigam por um piso salarial de pouco menos de R$ 1.200, o que em si é algo inacreditável num país onde os impostos comem quase todos os proventos, além dos serviços privados que somos obrigados a pagar pela ineficiência do Estado (a própria escola é um deles). Enquanto isso, do outro lado do balcão, um único servidor público, um conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), ganhava até agora sozinho R$ 48 mil por mês. Quarenta vezes mais que o piso pretendido pelos professores. E o mais engraçado é que só depois desse supersalário vir à tona, em denúncia feita pelo deputado Heitor Férrer (PDT) e nas páginas do O POVO, é que o Estado percebeu que este pagamento é inconstitucional – sem contar a imoralidade diante das imensas desigualdades que existem no Ceará.

    Pois é, Francisco Aguiar terá de escolher entre o salário de conselheiro e a aposentadoria de ex-governador garantida depois de apenas 83 dias no cargo, em 1994 – em substituição a Ciro Gomes, quando este virou ministro da Fazenda. De qualquer jeito, não ficará com um salário baixo. Ainda cairão na sua conta R$ 24 mil todo mês, 20 vezes mais do que pedem dignamente os professores do Estado. Distorção gritante, mas apenas uma entre tantas que existem não só no Ceará, mas no Brasil como um todo. Como estamos distantes de uma sociedade justa e igualitária...



    Kamila Fernandes
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    IN: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


    _________________
    UNIDOS PELO SECTOR
    Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking


      Data/hora atual: Sex 24 Mar 2017, 04:11