Fórum Oficial da ANASP

Bem-vindo ao Fórum Oficial da ANASP, Fundada em 2009 | Associação Nacional Agentes Segurança Privada | Portugal

Registe-se, conecte-se e contribua no melhor fórum de divulgação da Segurança Privada.

Visite-nos no Site Oficial ANASP em www.anasp.pt.vu

ANASP nas Redes Sociais

Siga-nos nas principais redes sociais e acompanhe todas as novidades!

FACEBOOK
Subscreva e comente as actividades e notícias da ANASP
Siga aqui https://www.facebook.com/AssociacaoNacionalDeAgentesDeSegurancaPrivada

TWITTER
Ligue-se à maior rede social corporativa do mundo
Siga aqui https://twitter.com/ANASPups

YOUTUBE
Acompanhe e partilhe os vídeos da ANASP
Subscreva aqui http://www.youtube.com/user/ANASPTV
Fórum Oficial da ANASP

Bem-vindo ao Fórum Oficial da ANASP, Fundada em 2009 | Associação Nacional Agentes Segurança Privada | Portugal

ANASP - Associação Nacional Agentes Segurança Privada

"UNIDOS PELO SECTOR"

Sede: Urbanização Caliço, Lote P10, Frente A, 8200 Albufeira (ao lado terminal autocarros Albufeira)
Delegação Faro: Rua Libânio Martins, nº14, Fração B na União de Freguesias da Sé e São Pedro.

Delegação Lisboa:  Rua Abranches Ferrão Nº 13, 1º, 1600-296 Lisboa (Em frente à Loja do Cidadão das Laranjeiras)

Delegação Braga: Rua Dr. Francisco Duarte, 75/125, 1º, Sala 23, C.C. Sotto Mayor – 4715-017 Braga

 (ao lado Segurança Social de Braga, contactar Dra. Eva Mendes)

Telemóvel: 938128328 Telefone: 289048068


Horário de atendimento: Segunda a Sexta: 09h/12h - 14h/17h

Telefone: +351 253 054 799

Telemóvel: /+351 965293868  / +351 936345367(tag) / +351 917838281

Email: geral.anasp@gmail.com

Últimos assuntos

» ofertas emprego
Sex 31 Jul 2015, 14:34 por ANASP

» ofertas emprego
Sex 31 Jul 2015, 14:31 por ANASP

» Ofertas emprego
Sex 31 Jul 2015, 14:28 por ANASP

» Ofertas de Emprego Segurança Privada
Sex 31 Jul 2015, 13:54 por ANASP

» (2)ANASP_Newsletter_23julho
Qui 23 Jul 2015, 14:23 por ANASP

» ANASP_Newsletter_23julho
Qui 23 Jul 2015, 14:16 por ANASP

» (2)ANASP_Newsletter_16julho
Qui 16 Jul 2015, 14:43 por ANASP

» ANASP_Newsletter_16julho
Qui 16 Jul 2015, 14:10 por ANASP

» (2)ANASP_Newsletter_15julho
Qua 15 Jul 2015, 13:58 por ANASP

Galeria


Navegação


    Violência doméstica e familiar aumenta em Portugal

    Compartilhe
    avatar
    agengelica

    Mensagens : 58
    Reputação : 12
    Data de inscrição : 25/07/2009
    24092009

    Violência doméstica e familiar aumenta em Portugal

    Mensagem por agengelica

    Violência doméstica e familiar aumenta em Portugal
    A Violência Doméstica define-se como o tipo de violência (física, sexual ou psicológica) que ocorre em ambiente familiar, seja entre os membros de uma mesma família, seja entre aqueles que partilham o mesmo espaço de habitação.
    É uma problemática delicada de abordar e muito difícil de combater, pois as próprias vítimas sentem grande ambivalência relativamente aos autores dos actos violentos. Existe ainda a dificuldade acrescida de, regra geral, não existirem testemunhas destes actos e a existirem nem sempre desejarem apresentar o seu testemunho para não se envolverem em conflitos familiares que se apercebem têm um carácter cíclico, pois uma das características deste tipo de violência é ser cíclica.
    O ciclo da Violência Doméstica é caracterizado por três fases distintas: uma 1ª fase em que a crise se desencadeia e na qual surgem discussões decorrentes da acumulação de tensão dentro e/ou fora de casa, com aumento de ansiedade; uma 2ª fase em que surge o episódio agudo, com explosão de violência e no qual o autor do acto violento descarrega a tensão sobre a vítima, independentemente da sua atitude; e, finalmente, uma 3ª fase, chamada de lua de mel, em que surge o arrependimento e as promessas de alteração de comportamento.
    Estas fases vão-se sucedendo, em espiral, com episódios agudos cada vez mais intensos e com um ciclo cada vez mais curto, até que as vítimas deixam de acreditar na mudança prometida e decidem denunciar as agressões de que são vítimas.
    Em Portugal, de acordo com os dados fornecidos pelo Ministério da Administração Interna, as denúncias de violência doméstica têm vindo a aumentar sistematicamente e de forma progressiva, tendo-se registado 11.162 queixas em 2000, 12.697 queixas em 2001, 14.071 queixas em 2002 e 17.427 queixas em 2003.
    Acresce que em 2003 a violência contra a(o) cônjuge ou companheira(o) foi a mais frequente, constituindo 84% das denúncias.
    O Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica (800 202 148) recebeu em 2003 1880 chamadas de violência, na sua maioria feitas por mulheres (97,8%), sendo que destas, 67,8% eram casadas e 17,8% viviam em união de facto, e pertenciam predominantemente às faixas etárias dos 25 aos 34 anos (22,8%) e dos 35 aos 44 anos (22,7%).
    Este número crescente de denúncias de violência doméstica, perpetrada principalmente sobre as mulheres, torna evidente a sua dimensão no nosso país, sendo que este fenómeno tem significativas implicações políticas, sociais e económicas.
    Assim, e considerando que este tipo de violência constitui uma violação dos direitos humanos e que, de acordo com a Constituição da República Portuguesa compete ao Estado ?garantir os direitos e as liberdades fundamentais e o respeito pelos princípios do Estado de direito democrático?, bem como ?promover a igualdade entre homens e mulheres?, considerou o Governo a necessidade urgente de combater este fenómeno de uma forma transversal e integrada através do II Plano Nacional Contra a Violência Doméstica.
    Este Plano, que conta com a colaboração transversal entre vários organismos públicos e também com os contributos da sociedade civil, está organizado em sete capítulos principais, sendo que o 1º contém medidas relacionadas com a Informação, sensibilização e Prevenção, o 2º diz respeito às medidas relacionadas com a Formação, o 3º está direccionado para as medidas relacionadas com a Legislação e a sua Aplicação, o 4º com a Protecção à vítima e a Integração Social, o 5º contém as medidas respeitantes à Investigação e o 6º aquelas que estão relacionadas com as mulheres imigrantes. No último capítulo é constituído o observatório sobre violência doméstica a quem compete o acompanhamento e a avaliação do II Plano Nacional Contra a Violência Doméstica.
    (In a pagina)
    Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking


      Data/hora atual: Seg 21 Ago 2017, 10:13